Extremamente Tênue

Pintura, desenho, fotografia e poesia…

Fortuna

O limiar do surto

Observo, de longe, uma gota de orvalho que despenca da folha e morre na terra. Um buraco se abre em meu peito, como um infarto. Eu me curvo em dor, e meus olhos imaginam ― como um sonho ― o deus do tempo devorando o próprio pé.

Ver o post original

Anúncios

29 de agosto de 2015 Posted by | Uncategorized | Deixe um comentário

Orvalho

Na rudeza da minha alma
Ansiosa e deslocada
Vivo num presente estático.
Enveredo-me pelos mais insólitos caminhos,
Pelas mais lânguidas perspectivas
Para não ter que recusar este momento.
As janelas inundam-se
E, imóvel, sinto-as escorrer.
A brisa me beija, mas as marcas ficam.
O estigma me consome.
 
Fabiana Alves

12 de fevereiro de 2010 Posted by | Cálices | 2 Comentários

Meus trabalhos

" Bailarino" 2009, pastel seco s/ papel canson

8 de fevereiro de 2010 Posted by | Esboços e Finalizações | , , | 2 Comentários