Extremamente Tênue

Pintura, desenho, fotografia e poesia…

Orvalho

Na rudeza da minha alma
Ansiosa e deslocada
Vivo num presente estático.
Enveredo-me pelos mais insólitos caminhos,
Pelas mais lânguidas perspectivas
Para não ter que recusar este momento.
As janelas inundam-se
E, imóvel, sinto-as escorrer.
A brisa me beija, mas as marcas ficam.
O estigma me consome.
 
Fabiana Alves
Anúncios

12 de fevereiro de 2010 Posted by | Cálices | 2 Comentários